Controles Internos

Controles Internos

Em setembro de 1998, o Conselho Monetário Nacional, emitiu, por meio do Banco Central do Brasil, a Resolução nº 2.554, que determinou às instituições financeiras a implantação e implementação de controles internos voltados para as atividades por elas desenvolvidas, seus sistemas de informações financeiras, operacionais e gerenciais e o cumprimento das normas legais e regulamentares a elas aplicáveis.

O Sistema de Controles Internos do Banrisul S.A é formado pelo conjunto de políticas e procedimentos, instituídos pela alta administração, para assegurar que os riscos inerentes às atividades da Instituição sejam identificados e administrados adequadamente, assegurando o alcance dos seus objetivos nos seguintes aspectos:

  • conformidade às leis, regulamentos e demais normas aplicáveis;
  • eficiência e eficácia das operações;
  • proteção dos recursos contra perdas decorrentes de desperdício, erros e fraudes;
  • preparação e manutenção de dados financeiros e gerenciais fidedignos, divulgando-os em relatórios tempestivos e nos canais de comunicação competentes.

A “Política de Controles Internos” foi instituída com a finalidade de disseminar a cultura de controles internos, assegurando a observância dos parâmetros, procedimentos e padrões estabelecidos pela legislação, autoridades fiscalizadoras, especialmente o Banco Central do Brasil.

Com a finalidade de avaliar o devido cumprimento dos regulamentos pertinentes, auxiliando na correção de quaisquer desvios porventura existentes, o Banrisul S.A mantém o acompanhamento sistemático das atividades desenvolvidas na Instituição, com foco nos 5 (cinco) Elementos do Processo de Controles Internos:

  1. Supervisão Gerencial e Cultura de Controle
  2. Identificação, Avaliação e Tratamento dado aos Riscos
  3. Procedimentos de Controle e Segregação de Funções
  4. Informações e Comunicação
  5. Atividades de Monitoramento e Correção de Deficiências.

O Banrisul S.A, através do objetivo de Compliance, busca assegurar a adequação, o fortalecimento e funcionamento do Sistema de Controles Internos, procurando mitigar os riscos de acordo com a complexidade de seus negócios, bem como disseminar a cultura de controles para garantir o cumprimento de leis e regulamento estabelecidos pelos órgãos reguladores.

Topo

Estrutura de Controles Internos

Diretoria e Conselho de Administração: implanta e implementa uma estrutura de controles efetiva, mediante a definição de atividades de controle para todos os níveis de negócios da instituição. Responsável pela promoção de padrões éticos e de uma cultura organizacional que demonstre e enfatize, a todos os funcionários, a importância dos controles internos e o papel de cada um no processo.

Comitê de Gestão Bancária: consolida a visão estratégica global do Banco, que envolve os aspectos de negócios, administrativos, de risco, de tecnologia de informação, de controles internos, monitorando e acompanhando as ações propostas e realizadas quanto à aderência às diretrizes estabelecidas pela Diretoria.

Comitê de Gestão de Controles Internos: formula políticas de controles internos e de segurança lógica e física, bem como planos de ação para o curto e médio prazo, coordena ações para estabelecer mecanismos para gestão do risco operacional.

Controladoria: certifica-se de que as linhas de negócios estejam em conformidade com as regulamentações internas e externas, monitora as atividades relacionadas à prevenção à lavagem de dinheiro, ilícitos cambiais e financeiros de clientes, dissemina a cultura de controles e padrões éticos na Organização, monitora a atualização dos normativos e meios de comunicação da Instituição.

Controller: responsável pelo compliance do Banco, com a atribuição de monitorar suas diversas áreas.

Gestores das Unidades da Direção-Geral e das Agências: responsáveis por acompanhar e dar conformidade aos controles, com vistas ao cumprimento dos procedimentos e políticas corporativas de controles internos.

Agentes de Controles Internos: empregados nomeados por resolução para atuar com a Controladoria na implementação das ações necessárias à melhoria dos controles internos.

Auditoria Interna: responsável por fiscalizar e orientar para o cumprimento da legislação contábil e as diretrizes econômico-financeiras, administrativas, operacionais e comerciais, com vistas a garantir a integridade das informações.